Por Andre Wormsbecker / Quantum Dox

Os chakras são considerados fundamentais para a compreensão e manutenção do bem-estar físico, emocional e espiritual. Originários das tradições espirituais da Índia, esses centros de energia desempenham um papel crucial na forma como vivenciamos e interagimos com o mundo ao nosso redor. A palavra “chakra” significa “roda” ou “disco” em sânscrito, e cada chakra é visualizado como uma roda de energia que gira em um ritmo específico, influenciando diferentes aspectos da nossa existência.

A importância dos chakras em nossas vidas. Imagem: AI Generated by Leonardo.ai (Andre Wormsbecker).

A importância dos chakras começa com a sua conexão direta com o nosso corpo físico. Cada um dos sete chakras principais está localizado ao longo da coluna vertebral, do cóccix ao topo da cabeça, e está associado a glândulas e órgãos específicos. Por exemplo, o chakra raiz (Muladhara), localizado na base da coluna, está relacionado à nossa sensação de segurança e às necessidades básicas de sobrevivência. Quando este chakra está equilibrado, nos sentimos estáveis e seguros, capazes de enfrentar os desafios da vida com confiança. Por outro lado, um desequilíbrio no chakra raiz pode levar a sentimentos de insegurança e medo.

À medida que subimos pela coluna vertebral, encontramos o chakra sacral (Svadhisthana), que governa a nossa criatividade, emoções e sexualidade. Um chakra sacral equilibrado permite-nos expressar nossos sentimentos de forma saudável e experimentar a vida com paixão e criatividade. Desequilíbrios neste chakra podem resultar em bloqueios emocionais, problemas sexuais e falta de inspiração.

A definição dos chakras tem suas origens na tradição espiritual e filosófica da Índia antiga, mais especificamente no hinduísmo, no budismo e no jainismo.

Vamos analisar os chakras em várias culturas:
Hinduísmo
No hinduísmo, os chakras são descritos em textos antigos chamados de Vedas e Upanishads. Estes textos, que remontam há mais de 3 mil anos, descrevem os chakras como pontos de energia que influenciam aspectos físicos, emocionais e espirituais do ser humano. O conceito foi mais detalhadamente desenvolvido em textos como os “Tantras”, onde os chakras são frequentemente discutidos no contexto da prática de yoga e meditação.

Yoga e Tantra
A prática do yoga e do tantra, especialmente as formas de Hatha Yoga e Kundalini Yoga, ampliaram o conhecimento e a compreensão dos chakras. Os chakras são vistos como centros de energia que, quando equilibrados, podem levar a um estado elevado de consciência e bem-estar. A Kundalini Yoga, em particular, se concentra no despertar da energia espiritual latente (Kundalini) que reside na base da coluna vertebral e na sua ascensão através dos chakras.

Budismo
No budismo, especialmente no budismo tibetano, os chakras são conhecidos como “wheels” ou “centros de vento” (tibetano: རྡུལ་འཁོར་, Wylie: rlung ‘khor) e estão associados ao corpo sutil e às práticas de meditação avançadas. Eles são parte integral das práticas de meditação tântrica e visualizações.

Jainismo
O Jainismo também menciona os chakras, embora de maneira menos detalhada comparado ao hinduísmo e ao budismo. No Jainismo, a meditação e a purificação dos chakras são vistas como uma forma de alcançar a iluminação e o conhecimento superior.

Ocidente
A introdução dos chakras no Ocidente começou no final do século 19 e início do século 20, através do trabalho de esoteristas e teosofistas como Helena Blavatsky, Charles Leadbeater e Alice Bailey. Eles reinterpretaram e popularizaram os conceitos orientais dos chakras, adaptando-os a uma audiência ocidental.

A importância dos chakras em nossas vidas. Imagem: AI Generated by Leonardo.ai (Andre Wormsbecker).

A definição e o entendimento dos chakras evoluíram ao longo dos séculos, influenciados por várias tradições espirituais e filosóficas. Originalmente, eles são profundamente enraizados nas práticas espirituais da Índia antiga e se expandiram globalmente, influenciando práticas modernas de meditação, cura e bem-estar.

Vamos conhecer alguns chakras essenciais:
De cor vermelha, o chakra básico (Muladhara) tem como elemento principal a terra. Ele é responsável pela manutenção da vitalidade, disposição e conexão com o mundo material. Está localizado na região do períneo. Quando desalinhado, pode causar alienação, falta de ânimo ou excesso de apego ao mundo material.

O chakra sacro (Svadhisthana) fica localizado na região pubiana, é responsável pela manutenção de nosso sistema reprodutor. Ele exerce poder sobre a fertilidade, os impulsos sexuais e também sobre nossa capacidade criativa. Boas ideias são impulsionadas pelo chakra sacro. Sua cor é laranja.

O chakra do plexo solar (Manipura), localizado na área do estômago, está associado ao poder pessoal, à vontade e à autoestima. Quando este chakra está em harmonia, nos sentimos confiantes e capazes de exercer controle sobre nossas vidas. Problemas de autoestima e falta de controle podem indicar um desequilíbrio no chakra do plexo solar.

O chakra cardíaco (Anahata) é o centro do amor, compaixão e conexão com os outros. Localizado no meio do peito, um chakra cardíaco aberto nos permite dar e receber amor incondicionalmente, fomentando relacionamentos saudáveis e autocompaixão. Um chakra cardíaco desequilibrado pode resultar em sentimentos de solidão, mágoa e dificuldades nas relações interpessoais.

Subindo para o chakra da garganta (Vishuddha), encontramos o centro da comunicação e da expressão pessoal. Um chakra da garganta equilibrado nos permite comunicar nossos pensamentos e sentimentos com clareza e verdade. Bloqueios neste chakra podem manifestar-se como dificuldades de comunicação, medo de falar em público e problemas de expressão criativa.

O chakra do terceiro olho (Ajna), localizado entre as sobrancelhas, é o centro da intuição, percepção e sabedoria interior. Um terceiro olho aberto nos ajuda a ver além do mundo físico, acessando uma compreensão mais profunda e espiritual da vida. Quando este chakra está desequilibrado, podemos experimentar falta de clareza, confusão e desconexão espiritual.

Finalmente, o chakra coronário (Sahasrara), situado no topo da cabeça, nos conecta ao divino e ao nosso propósito espiritual. Um chakra coronário equilibrado permite-nos sentir uma profunda conexão com o universo e uma sensação de paz interior. Desequilíbrios neste chakra podem resultar em sentimentos de desconexão, vazio espiritual e falta de propósito.

O que os chakras tem a ver com as viagens astrais?
No aspecto espiritual, os chakras são considerados fundamentais para a prática e a experiência das viagens astrais. Viagem astral, ou projeção astral, é o fenômeno no qual a consciência se desloca para fora do corpo físico, supostamente acessando um plano de existência não-físico. Aqui estão algumas maneiras pelas quais os chakras estão relacionados às viagens astrais:

1. Preparação Energética
Os chakras são centros de energia no corpo sutil que precisam estar equilibrados e harmonizados para facilitar uma viagem astral bem-sucedida. A prática de equilibrar os chakras através de meditação, yoga, ou outras técnicas energéticas pode preparar o corpo sutil para a projeção astral.

2. Desbloqueio e Ativação
Certos chakras desempenham papéis cruciais na facilitação da viagem astral:

  • Chakra do Terceiro Olho (Ajna): Localizado entre as sobrancelhas, este chakra é associado à intuição, percepção e visão psíquica. Sua ativação pode ajudar na visualização e na percepção dos reinos astrais.
  • Chakra Coronário (Sahasrara): Situado no topo da cabeça, este chakra conecta o indivíduo a níveis mais elevados de consciência e ao divino. Sua abertura é frequentemente associada a experiências espirituais elevadas, como viagens astrais.

3. Movimentação da Energia Kundalini
A energia Kundalini, que reside na base da coluna vertebral (no chakra raiz), pode ser despertada e movida através dos chakras, ascendendo pela coluna vertebral até o chakra coronário. Essa ascensão é considerada por muitas tradições como um processo que facilita estados elevados de consciência, incluindo a viagem astral.

4. Proteção e Equilíbrio
Durante uma viagem astral, manter os chakras equilibrados pode ajudar a proteger o corpo sutil contra energias negativas. A integridade energética proporcionada por chakras equilibrados é vista como uma forma de garantir uma experiência segura.

5. Conexão e Retorno
O chakra cardíaco (Anahata), localizado no centro do peito, é frequentemente associado à conexão com o corpo físico durante a viagem astral. Mantê-lo equilibrado pode ajudar na transição suave para fora e de volta ao corpo físico.

  • Meditação dos Chakras: Focar em cada chakra, visualizando sua abertura e purificação, pode preparar a mente e o corpo sutil para a viagem astral.
  • Respiração Prânica: Técnicas de respiração que movem a energia prânica através dos chakras podem ajudar a ativar e equilibrar os centros de energia.
  • Yoga: Práticas como Kundalini Yoga e Hatha Yoga podem ajudar a despertar e equilibrar a energia dos chakras, facilitando a projeção astral.

A relação entre os chakras e as viagens astrais é profunda, envolvendo a preparação energética, o desbloqueio e a ativação dos centros de energia, e a proteção do corpo sutil. Trabalhar com os chakras é considerado essencial para alcançar e manter experiências astrais seguras e enriquecedoras.

Os chakras fazem parte de um papel vital na nossa saúde e bem-estar geral. Equilibrar e harmonizar esses centros de energia pode levar a uma vida mais saudável, harmoniosa e espiritualmente conectada. Ao compreender e cuidar dos nossos chakras, podemos viver de forma mais plena, expressando nosso verdadeiro potencial e cultivando um profundo senso de paz e felicidade.


Gostou deste assunto? Que tal ficar em sintonia com os nossos estudos, dicas e curiosidades?

Convidamos você a se juntar a nós em uma exploração profunda destes temas. Siga-nos nas redes sociais: TwitterInstagramPinterest e Telegram. Aventure-se em nosso Canal no Youtube para um conteúdo inspirador sobre estes assuntos. Saiba mais sobre nossa missão na Bio. Acompanhe nosso blog na Medium. Mantenha-se conectado conosco assinando nosso feed. E ouça nossos podcasts no Spotify.

Shares:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *