Mapas Secretos do Terceiro Reich: Os nazistas encontraram a entrada para a Terra Interior?

Há um tempo atrás, descobrimos um mapa do terceiro Reich no qual há várias passagens secretas retratadas, que foram usadas por U-Boats alemães para acessar misteriosas regiões subterrâneas, bem como um mapa completo de ambos os hemisférios e do misterioso reino de Agartha.
O que você acha da teoria da Terra Oca? É possível que outro mundo exista, abaixo da superfície do nosso planeta? E é possível que realmente exista vida lá embaixo?

A verdade é mais estranha do que a ficção, mas é porque a ficção é obrigada a se ater às possibilidades; A verdade não é.

Mark Twain, Seguindo o Equador: Uma Viagem ao Redor do Mundo.

A possibilidade de que a terra seja oca, e que possa ser acessada através dos polos Norte e Sul e que civilizações secretas floresçam dentro dela estimulou a imaginação das pessoas através dos séculos.
Afinal, pode ser verdade que, de alguma forma, e em algum lugar, há um acesso que leva a um mundo totalmente diferente, mantido em segredo há anos. Evidências de uma “Terra Oca” são encontradas na história de inúmeras civilizações antigas.
O herói babilônico Gilgamesh visitou seu ancestral Utnapishtim nas entranhas da terra; na mitologia grega, Orfeu tenta resgatar Eurídice do inferno subterrâneo; dizia-se que os faraós do Egito se comunicavam com o submundo, que podia ser acessado através de túneis secretos escondidos nas pirâmides; e os budistas acreditavam (e ainda acreditam) que milhões de pessoas vivem em Agharta, um paraíso subterrâneo governado pelo rei do mundo.

A maioria de nós está familiarizada com a ideia de que os nazistas exploraram tudo o que podiam no planeta em sua busca final pela dominação global. Eles esperavam que, em algum lugar do globo, descobrissem “algo” que, em última análise, os ajudasse a alcançar seu objetivo.

Embora muitas pessoas acreditem firmemente que a Terra interior nada mais é do que contos e mitos, há quem acredite que não apenas a “Terra Oca” existe, há evidências suficientes para provar esses argumentos, como o vídeo postado abaixo, que supostamente mostra um mapa que remonta à década de 1940 pertencente ao “Terceiro Reich” e exibindo a passagem “direta” usada por submarinos alemães para acessar um domínio subterrâneo. O mapa também detalha os dois hemisférios do nosso planeta, bem como o chamado reino interior de ‘Agartha’.

De acordo com o site ourhollowearth.com, há uma cópia da carta traduzida que teria sido enviada por um homem chamado Karl Unger, a bordo do U-Boat 209, que era comandado por Heinrich Brodda, detalhando que eles haviam chegado ao interior da Terra e NÃO RETORNARIAM. Curiosamente no site www.u-boote-online.de afirma que o U-Boat 209 foi ‘PERDIDO POR CAUSAS DESCONHECIDAS’ em 07.05.1943.

Embora muitas pessoas considerem essas afirmações absurdas e ridículas, muitas indicam que há alguma verdade em algum lugar lá, mas que os detalhes foram alterados de algumas maneiras.
Se compararmos os mapas vistos no vídeo e do suposto U-Boat 209, e os mapas feitos pelo cartógrafo e artista tirolês Heinrich C. Berann para a National Geographic Society na década de 1960, notaremos que o continente antártico é exibido sem sua camada de gelo.

De acordo com muitos, os detalhes mais intrigantes são, na verdade, que existem supostas passagens subaquáticas que aparentemente atravessam todo o continente e parecem convergir para o local que muitos acreditam ser a abertura que leva à terra oca.

Fonte: Ancient Code.

Secret Maps of the Third Reich: Did the Nazi’s find the entrance to the Inner Earth? – The Ancient Code (ancient-code.com)


Gostou deste assunto? Que tal ficar em sintonia com os nossos estudos, dicas e curiosidades?

Convidamos você a se juntar a nós em uma exploração profunda destes temas. Siga-nos nas redes sociais: TwitterInstagramPinterest e Telegram. Aventure-se em nosso Canal no Youtube para conteúdo inspirador sobre estes assuntos. Saiba mais sobre nossa missão na Bio. Mantenha-se conectado conosco assinando nosso feed.

Shares:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *